domingo, 15 de janeiro de 2017

MEU SEGREDO ESTÁ DENTRO DE MIM

Eu também sou um Prince
Por vezes ando
por certas montanhas geladas
Eu olho para as estrela
Eu sou um jovem de 12 anos
Com falta de calor
Tremendo de frio
Com falta de amor
Mas sempre com esperança.
Mas existe um segredo
guardado dentro de mim!?
Seu nome ninguém saberá
Está escondido nas paginas do meu diário
Que a noite seja curta
Para eu dormir descansado.
Eu faço desvanecer as estrelas
Quando a luz aparece
Faz brilhar o meu rosto
O meu rosto…
E eu venço sempre,
Vencerei, vencerei mesmo
Só assim ficarei aliviado
O meu grande amor está para nascer
Nasci com um dom para vencer…
Eu quero sorrir elevar o meu astral
Eu quero vencer!
> Manuel Dias Pombo
Caselas, Lisboa Ano 1952 <
Copyright "©"


quinta-feira, 17 de setembro de 2015

Ilha dos amores






Para se chegar á ilha dos amores era preciso saber o encantamento do canto das sereias e os chamamentos dos golfinhos que abriria as ondas quando acompanhavam a barca e guiava-a pelo baia até à ilha. Depois somente os iniciados e a donzelas que conduziam a barcas - sabiam o caminho para o cais escondido. Quem ousasse transpor as brumas sem saber o encantamento ficaria perdido, para sempre, vagando entre os dois mundos.


Entre  a neblina
Dos mares do norte
Entre as neblinas ...está uma
Uma barca perdida
Entre o horizonte
E a Ilha adorável
Lá na ilha estamos felizes

O lar dos monjos
É o meu refúgio sonhador
A inspiração como poeta
A origem dos amores
Vejo nas letras as Donzelas
Que entre frases lá moram
Desfrutam meu doce amor
E bebem da tinta sagrada
Suspiram aguardando o meu amor
Sou alegria das letras
Todos dançam ao redor das minhas palavras
Com belas cantorias
Eu vejo a Virgem
Que vem sempre na primavera
Com a sua pureza e beleza
Que faz de mim o homem da sua terra.
Na minha escrita, meus poemas
E no meu livro nascem
as minhas belas palavras
O anoitecer vejo o meu amor
Eu escuto o seu cantar
Canções de amor
Cantando com as aves noturnas
As mais doces melodias
É harmonia em todo lado
Minhas palavras um dia foi
Os livros dos sonhos
A Ilha inviolável do amor
Carlos J. Pombo



quarta-feira, 16 de setembro de 2015



SONHO ACORDADO

No meu sonho acordado
Invoco Toda a ascensão
Física, mental, emocional,
Espiritual
Com o apoio dos meu interno Deus,
Mestres a vida e o tempo,
Ascensos reino de incluir:
Elementais da terra, ar, fogo e água
  Todos os seres divinos da luz, amor e ascensão,
Para ativar as células do meu ser
Quero sonhar acordado a plena realidade
Ascensão neste momento,
Com cada respiração que eu respiro
     O fogo dentro de mim transmutem todo o meu ser!...

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Aber wer bist du eine Frau?

Ich bin eine Mutter,
Ich bin ein Rechtsanwalt,
Ich bin Arzt,
Ich bin Haushälterin,
Ich bin eine Frau der Lebens
Ich bin ein Lehrer.
Ich bin auch der Blume, die Ihren Garten verzaubert
der Stern, erhellt Ihr Himmel, auch in den Nächten der Finsternis.

Ich bin mehr als Frauen ...
Ich bin eine Blume aus dem Garten,
 warten darauf, von dem Wasser seiner Treue gewässert werden;


 die darauf warten, für Ihr Vertrauen gewürzt werden und
  warten darauf, von ihren Händen voller Liebe geerntet werden.

  Aber wer du ein Mann bist?

  Roni Roque da Silva





Mas quem és tu mulher?

Sou mãe,
 sou advogada,
 sou médica,
 sou faxineira,
 sou mulher-da-vida,
 sou professora.
 sou também a flor que encanta seu jardim,
 a estrela que ilumina o seu céu, mesmo em noites de escuridão.

Eu sou mais do que mulher...
 Sou a flor de seu jardim,
 que espera ser regada pela água da sua fidelidade;
 que espera ser condimentada pela sua confiança e
 que espera ser colhida por suas mãos cheias de Amor.

 Mas quem és tu homem?
 Roni Roque da Silva

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

MEU E TEU RELÓGIO
  • Há só silêncio em meu redor?
    Sinto o bater no meu relógio biológico
    Sinto, (longe? perto?)
    De bater, bater sem corda,
    Não posso mudar de relógio
    Faz parte da minha vida.
    São ecos do nulo instante.
    A sociedade de superioridade,
    Hipocrisia maldade arrogância,
    Enfim, só se pensa em prazeres da vida,
    Eles também tem um relógio como o meu
    Seus relógios também, como o meu

    No peito sempre incerto
    (fica lá longe? Está perto?)
    Querer ser muito mais
    Fingindo horas já ouvidas
    De ouvidos de ausentes vidas,
    Têm o relógio-fantasma.
    São romanços infelizes
    Romance em que é costume
    Ferver amor, ser mais do que os outros,
    Sangue ciúme, violência e lutas.

    Ficou aberto quando,
    Quando a maquina folha velha,
    Essas páginas caiu,
    Um amor-imperfeito jaz
    Que, ressequido,
    Se desfaz, desfaz, desfaz…
    No seus peitos, (longe? perto?)
    O relógio marca incerto
    Dias de eras que nem eram,
    Dando horas que nunca foram:
    Só comemoram a grandeza
    Factos que decorrem.
    A um canto, das sombras frias
    Que, mais que morto e sepulto
    Ontem fostes grandeza hoje és uma flor
    Foste lá seja o que for
    mdp